Pular para o conteúdo principal

Atu XX - O Aeon

Aeon

O Atu XX não é mais o Julgamento que vemos nos outros Tarots, porque este agora demarca o nascimento de uma Nova Era, onde não mais existe a concepção de julgamento ou de punição de uma divindade sobre seus adoradores. Este Atu é um dos mais belos do Tarot de Thoth, pois também demarca o resgate das raízes espirituais do mundo ocidental. Temos a Criança Coroada, livre e inocente, pisando sobre o passado e sobre as aberrações cometidas sob os direitos mais básicos do ser humano: o direito a ser Feliz. A Criança não nos mostra mais o nascimento, vida e morte, mas a continuidade da existência: a Eternidade.

Aleister Crowley escreveu apropriadamente quando descreveu Thelema: “…representa não meramente uma nova religião, senão uma nova cosmologia, uma nova filosofia, uma nova ética. Coordena os inconexos descobrimentos da ciência. Seu alcance é tão vasto que resulta impossível aludir sequer, a universalidade de sua aplicação… O Æon de Hórus, do Filho, não é meramente um símbolo de crescimento e sim da completa independência e inocência moral. Podemos pois esperar que, o Novo Æon liberte a humanidade de sua falsa pretensão de altruísmo, de sua obsessão pelo medo e da sua consciência do pecado.”

A palavra Aeon, vem do grego e quer significar Era ou ciclo de tempo. Existem algumas divergências quanto tempo dura um Aeon, mas esta é uma discussão menor. Cada Era possui um período de estabelecimento, solidificação, decadência e desaparecimento. O período de transição entre um Aeon e outro, é conhecido em Thelema como Aeon de Maat, a neter egípcia do Equilíbrio e da Lei. Esse período relativamente curto é caracterizado pelo avanço rápido de tecnologias e da psique humana, mas também por graves crises planetárias, como que a humanidade presenciou nos meados do século XX.

O Atu do Aeon nos apresenta duas formas de vermos o universo e a nós mesmos, são formas distintas, mas complementares. Aqui a Promessa da Fórmula (Thelema) e da Palavra (Abrahadabra) do Aeon estão integralmente cumpridas. Este é o Sol da meia noite. É o Caminho além de todas as limitações, quer sejam físicas, mentais, espirituais, etc. Aqui vemos a Santíssima Fraternidade da Estrela de Prata coroando sua Criança.

Temos neste Atu as principais “divindades” que compõem o panteão de Thelema: Nuit, no formato da letra grega Omega; Hadit, na forma do globo alado (o ponto focal da Consciência); Ra-Hoor-Khuit, o  Mestre entronado e conquistador. Porém temos muito mais do que isto, vemos a Única e Verdadeira divindade que rege todo o Aeon que é Hoor-paar-kraat: o ser humano que é a única divindade digna de ser adorada. Hoor-paar-kraat é a Criança que é acolhida perante o Universo.

“Não existe deus senão o homem.”

Percebemos de maneira clara que esta é, exotericamente, o último Atu dos Arcanos Maiores, pois a seguinte demarca o início de uma nova etapa: onde um ciclo se encerra e outro se inicia. O Atu seguinte é a perpetuação de um novo e desconhecido Caminho.

Particularmente acredito que o Aeon de Hórus (a Era de Aquário/Leão) começou definitivamente no ano de 1950 e.v., com a invasão do Tibet pela China (na época, comunista). Ao contrário dos que acreditam que a “religão” do velho Aeon era o cristianismo, percebo que ela era o Budismo, com toda sua noção sobre o Sofrimento. Era o Tibet o último bastião da antiga religião, que ao longo dos séculos teve a base de sua Verdade corrompida pela falta de Entendimento dos ensinamentos de Buda. Percebemos que o Budismo (que tanto admiro e respeito) foi a síntese mais perfeita das religiões e seitas que se preocupavam basicamente com a noção do Sofrimento.

Rompemos assim, definitivamente, com toda noção de dor e de sofrimento. Não existe julgamento e punição aqui ou em qualquer outro mundo. O Liber AL vel Legis deixa claro que a existência é puro prazer. Não existe mais submissão ou medo perante qualquer deus e seus escravos. Uma Nova Era surgiu dos escombros de civilizações decadentes e de seitas escravocratas. Liberdade gera responsabilidade. Buscamos no princípio da civilização humana as nossas raízes, para criarmos um futuro onde a Liberdade, o Amor, a Vida e a Luz deverão brilhar nas palavras e nas ações de cada ser humano. A inocência da Criança nos libertou do tirano e de suas covardias.

FAZE O QUE TU QUERES HÁ DE SER TUDO DA LEI.

AMOR É A LEI, AMOR SOB VONTADE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atu A Princesa de Paus

Ela é a representação dos extremos, o extremo da ousadia, a ousadia inocente que desconhece o limite do perigo. A ousadia da inocência perante o mundo. Na busca da sua luz ela avança resoluta, mesmo que tenha de abrir mão de todas as suas riquezas. A nossa Princesa imola seu ego no seu fogo puro, no fogo do incenso, entregando a si mesma ao desconhecido. Pura como o fogo e a terra, ela se lança, ela dança, ela se eleva. Como uma jovem virgem ela entrega sua pureza, dá o último passo na direção de sua escolha, de sua volúpia, de sua liberdade. A Princesa é a jovem rica e rebelde que escolhe o seu caminho quase que instintivamente, quase que inocentemente, inocentemente... Se há dúvida em seu coração, nós nunca o saberemos, pois ela segue firme, adaptativa, violenta muitas vezes, mas com a certeza de que sairá vitoriosa. Impetuosa, fértil, rica, inocente sem dúvida, esta é a Princesa do Palácio dos Deuses. Sua ousadia é digna do nosso amor e da nossa admiração, pois devemos saber que ne…

Atu XV – O Diabo

Nada melhor do que iniciarmos este nosso blog do que fazer um rápido comentário sobre o Atu XV, o Diabo, que é o arcano que em Essência rege todo o Tarot e, consequentemente, qualquer jogo realizado com este.


O Diabo, longe de qualquer conceito retrógado em que se baseia o senso comum, representa a Verdadeira Vontade, dentro do conceito thelêmico da palavra. Apesar deste Atu em si não representar propriamente a imagem do Sagrado Anjo Guardião, representa o conceito de Virilidade, de Vigor e de Força, que libera as energias ativas e passivas no ser humano. O Atu concentra em si as duas potencialidades de ação e não ação, convergendo-as em uma única direção.

Este Atu (ou arcano) demarca o Caminho do Iniciado na direção do Infinito, rompendo com todas as limitações e mostrando um novo rumo. O bode montês representa a ascensão do homem além dos seus limites físicos e psíquicos. Esta ascensão é realizada por causa do Amor, representado pela guirlanda de flores em sua cabeça, dirigido pela Vo…